Lúpus em Cordel




Um dia sem avisar
Vi de longe o Lúpus chegar
Chegou sem fazer rodeios
Mandou todos os sonhos pra escanteio
Do meu corpo se tornou mandante
Trouxe com ele a dor, a tristeza e  face ruborizante



Meus cabelos resolveu derrubar
E meu corpo deformar
Meu olhar deixou cansado
E meu rosto desfigurado
Quem olhava tal moça a fraquejar ficava admirado
Como pode isso? Seria mal olhado?



Deixando o Lobo de lado
Trazendo a Borboleta à vida
Conseguindo com luta, carinho e afago
Curar o tal "mal olhado"
E eu de maneira atrevida quero encontrar uma saída
Praquela história tão sofrida



Mas que saída teria eu
Depois que o lobo me mordeu?
Tive que tomar uma atitude
Pois sei que com todo esse grude
Quem tem Lúpus não se ilude
Sabe que quem é FELIZ consegue ter saúde




Posted by : Ana Geórgia Simão; A Menina e o Lúpus

1 comentários:

Postar um comentário

 

Wolf Butterfly Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang